Make your own free website on Tripod.com

Resposta da Pergunta Nº 39 :

Decididamente sim. Sob o ponto de vista de uma vida, tais métodos, por exemplo, aqueles empregados pelos curadores do movimento Immanuel, sem dúvida alguma, são muito benéficos. Coloca-se o paciente numa cadeira, faz-se com que adormeça e, em seguida, são-lhe dadas algumas "sugestões". Ele levanta-se e está curado do seu mau hábito. De um bêbado inveterado, torna-se um respeitável cidadão que zelará pela sua esposa e família. Por esse aspecto, os efeitos benéficos parecem ser inegáveis.

Mas, considerando isso do ponto de vista mais profundo do ocultismo, que encara esta vida como apenas uma entre muitas, ao avaliarmos o caso, a partir do efeito que exerce sobre os veículos invisíveis do homem, tudo é muitíssimo diferente. Quando um homem é posto em sono hipnótico, o hipnotizador faz-lhe passes, os quais têm o efeito de expelir o éter da cabeça do corpo denso que é substituído pelo éter do próprio hipnotizador. Desse modo, o homem é perfeitamente dominado pelo outro, não tendo livre-arbítrio. Portanto, as assim chamadas "sugestões" são, na realidade, ordens às quais a vítima não tem outra opção senão obedecer. Quando o hipnotizador retira o seu éter e desperta a vítima, ele é incapaz de lhe remover todo o fluido etérico.

Usando uma comparação: da mesma forma que uma pequena parte do magnetismo instilado num dínamo elétrico, antes que este seja posto a funcionar pela primeira vez, é deixada para trás e permanece como magnetismo residual a fim de excitar os campos do dínamo sempre que este é acionado, assim também permanece uma pequena parte do éter do corpo vital do hipnotizador na medula espinhal da vítima. Isto se torna um trunfo que o hipnotizador possui sobre ele durante a vida toda, e é devido a este fato que as sugestões, que serão usadas num período subseqüente ao despertar da vítima, são invariavelmente seguidas.

Desta maneira, a vítima de um curador hipnótico não domina o mau hábito pela sua própria força de vontade, mas fica tão escravizada como se estivesse numa reclusão solitária. Embora nesta vida pareça ter-se tornado uma pessoa melhor, ao retornar à Terra experimentará a mesma fraqueza e terá de lutar até vencer, por si própria, essa tentação.


V O L T A R