Make your own free website on Tripod.com

Resposta da Pergunta Nº 36 :

Esta pergunta revela um estado de espírito extremamente deplorável. Seria a mesma coisa que perguntar se é correto tentar salvar alguém em caso de afogamento, pois a queda na água também é um efeito de uma causa auto-gerada. Claro que é nosso dever tomar um remédio administrado por uma pessoa apropriadamente qualificada, ou tentar curar as doenças das quais sofremos da forma que mais nos aprouver. Estaríamos decididamente errados se permitíssemos que o nosso instrumento físico se deteriorasse por falta de cuidados e de uma atenção apropriada. É o instrumento mais valioso que possuímos e, a menos que o usemos apropriadamente e cuidemos dele, estaremos submetendo-nos à Lei de Causa e Efeito devido a esta negligência.

Uma pergunta como esta revela uma concepção totalmente errônea dessa lei. É nosso dever tentar elevar-nos acima das situações, ao invés de permitir que as circunstâncias dirijam nossas vidas. Há um lindo e pequeno poema que exprime esta idéia adequadamente:

"Um barco sai para Leste e para Oeste um outro sai,
com o mesmo vento que sopra numa única direção.
É a posição certa das velas e não o sopro do vento
que determina, por certo, o caminho em que eles vão.
Os caminhos do destino são como os ventos do mar
conforme nós navegamos ao longo e através da vida.
É a ação da alma que à meta nos vai levar e não a calmaria ou o constante lutar".

Se nos esforçarmos em manejar as velas do barco da vida corretamente, seremos sempre capazes de modificar suas condições, e fazer das nossas vidas o que queremos, ao invés de acomodarmo-nos esperando as nuvens passarem, pois somos nós mesmos que as criamos. O próprio fato de as termos criado deveria inspirar-nos, dando-nos a coragem e a energia de desfazê-las ou rechaçá-las o mais rapidamente possível.


V O L T A R