Make your own free website on Tripod.com

Resposta da Pergunta Nº 14:

Não, o espírito é bissexual e costuma expressar-se em suas vidas futuras alternadamente, uma vez como homem e outra como mulher. Há, no entanto, casos em que, de acordo com a Lei de Conseqüência, é preferível que um espírito se manifeste em várias vidas sucessivas com um sexo determinado.

A lei é a seguinte:

Como o Sol se move em sentido retrógrado entre as doze constelações com um movimento chamado precessão dos equinócios, o clima da Terra, a flora e a fauna vão sofrendo uma mudança lenta, criando assim um meioambiente diferente para a raça humana e cada era sucessiva. O Sol leva cerca de dois mil anos para passar por um dos signos pela precessão e, nesse período, o espírito nasce geralmente duas vezes, um como homem e outro como mulher. As mudanças que ocorrem nos mil anos decorridos entre as encarnações não são tão grandes que o espírito não possa extrair as experiências daquele ambiente, tanto como homem ou como mulher.

No entanto, há casos em que este período pode ser mudado. Nenhuma destas leis é tão inflexível como as leis dos Medas e dos Persas, pois elas são administradas por Grandes Inteligências em benefício da humanidade, de modo que as condições possam ser modificadas para atender às exigências dos casos individuais. Por exemplo, no caso de um músico. Ele precisa encontrar o material com o qual construirá o seu corpo, em um lugar específico. Necessita de uma ajuda especial para formar os três canais semi-circulares do seu ouvido, de modo que eles apontem, tão próximos quanto possível, para as três direções do espaço. Precisa também de ajuda para construir as delicadas fibras de Corti, pois a sua habilidade em distinguir as variações de tons dependerá destas características.

Em tais casos, quando uma família de músicos está em condições de dar à luz a uma criança, esse espírito pode ser conduzido para lá, embora devesse permanecer no Mundo Celestial ainda por uns cem anos. Mas, talvez outra oportunidade para renascer não se apresentasse antes de duzentos ou trezentos anos, se a lei fosse observada. Naturalmente, tal pessoa terá idéias muito avançadas e não será apreciada pela geração com a qual irá conviver. Será mal interpretada, mas, mesmo assim, será melhor do que se tivesse nascido após o período estabelecido. Neste caso, estaria atrasada no tempo.

É por isso que, freqüentemente, constatamos gênios desconsiderados pelos seus contemporâneos, embora altamente apreciados pelas gerações seguintes, as quais podem entendê-los melhor.


V O L T A R